Sou autor... e agora?


E aí você foi lá, e páh! Conseguiu publicar seu livro.

Em primeiro lugar, parabéns! Você acaba de imortalizar uma parte de você. <3

Em segundo lugar, bora arregaçar as mangas que o trabalho todo só começou.


Desde que eu publiquei o meu livro, um monte de gente me procura para saber qual caminho seguir para alcançar esse objetivo. Como escrever melhor? Como procurar as editoras certas? Como saber se o contrato da editora é OK? Mil dúvidas que, veja bem, eu nem tenho experiência suficiente para responder, afinal só publiquei um livro até agora. Mas, obviamente, eu respondo com todo carinho e educação com base na experiência que eu tive e que sei que outros autores passaram. Mas ninguém me pergunta: tá, e depois que você publicou o livro? E eu acho que essa é uma pergunta beeeeeeeem relevante.


Estou aqui para mostrar o lado menos romântico de ser autor. Aquele lado em que você põe a mão na massa e trabalha que nem aquela moça tentando varrer a jaula dos pandas lá na China...


Infelizmente no Brasil "ser autor" não é aquela glória toda que todo mundo acha que é. Isso é consequência de um monte de fatores (mercado, editoras, leitores, cultura nacional, enfim...) que não cabem nesse post. Então, conversei com alguns autores e decidi trazer algumas dicas válidas para você, que é autor iniciante e não sabe pra que lado ir agora, ou pra você, que esta pensando em publicar o seu livro. Se prepara que vai ter textão...



Publiquei, e agora?

A melhor sensação é a da noite de autógrafos! Seus amigos vão te prestigiar, a família toda lá., e quando você se dá conta: vendeu 100 livros (ou mais) naquela noite. Mas não se acostume com isso. É muito provável que a sua média de venda mensal fique abaixo do que você imaginava, então, dica número 1: aprenda a controlar a ansiedade. Não se cobre um desempenho digno de J.K. Rowling, ou R.R. Martin. Lembre-se: você está começando agora!


Facebook e Instagram, como lidar?

Assim que a capa do seu livro estiver definida, é altamente aconselhável já começar a trabalhar a curiosidade do seu público. Crie uma página no Facebook, e também uma conta no instagram. E sem mimimi: tem que se obrigar a postar conteúdo interessante sempre! Não vale criar e deixar tudo às moscas. Abuse de imagens chamativas (cuidado com direitos autorais, de preferência use imagens de bancos gratuitos ou, ao menos cite a fonte), escolha as melhores frases de efeito do seu livro, crie quotes bacanas. Sabe aquele amigo pentelho que manja tuuuuudo de Photoshop? Melhor se aproximar dele novamente, ou fazer um cursinho on line. Você vai precisar.


Parcerias? O que são? Onde vivem?

Blogueiros literários serão seus melhores amigos a partir de agora. Trabalhe o seu lado RP (Relações Públicas) e bora entrar em contato com alguns pra garantir que haja divulgação do seu livro entre os leitores, e também garantir material para alimentar suas redes sociais (nunca esqueça delas!). A parceria basicamente funciona assim: o autor pode ceder um PDF de seu livro ou um original físico, e em troca o blogueiro divulga o material, resenha o livro, e faz outros posts que ele achar interessante. Regra número um das parcerias: conheça o blog/Instagram dos possíveis parceiros. Leia as resenhas dele, veja se o trabalho dele é sério mesmo. Frequentemente nos blogs e nos perfis do Instagram desse pessoal você encontrará uma relação de autores parceiros. Conselho: entre em contato com um ou dois autores antes de realmente fechar a parceria. Pesquise se o blogueiro realmente é sério. A maioria dos autores acaba enviando muitos livros de suas quotas em troca de uma divulgação que nem sempre vem. Da mesma forma que existem blogueiros incríveis e fofíssimos, existem aqueles que não levam nada a sério e apenas acumulam livros que recebem de autores inexperientes (e depois desaparecem). Informe-se, procure ajuda de outros autores e troque informações com eles. (P.S.: em breve teremos aqui uma relação de blogueiros que levam o trabalho a sério).


Então fecho o máximo de parcerias possíveis, certo?

Vai com calma. Uma boa dica é fechar um número pequeno de parcerias (tipo, 5 ou 6) a cada dois meses. Mas por que, tia Dáfne? Porque assim você estará sempre recebendo material novo sobre seu livro. Se fechar 50 parcerias no mesmo mês você vai ter 50 resenhas pra postar em breve, e aí o resto do ano você tira foto do seu cachorro, das suas unhas pintadas na cor da moda, do seu All Star novo, do seu almoço... Já esqueceu das redes sociais?


Sobre curtir, comentar e compartilhar: como ser uma pessoa sociável. =)

Não basta ter redes e ter assunto pra postar nelas, principalmente se você não tem seguidores. Para a boa convivência on line é importante participar. Isso mesmo que você está imaginando, prepare aquele sorriso simpático e saia distribuindo likes, seguindo perfis que achar interessantes, comente nos blogs (comentários válidos, não "olha seu blog é lindo, me segue de volta?" Não seja essa pessoa!), comente nos vídeos dos youtubers, comente nas postagens do face. PARTICIPE! Essa é a forma mais saudável de conseguir seguidores, curtidas na página do face, etc. Dá muuuuuuuuito trabalho, e demora pra você ir aumentando as suas redes. Mas é válido. Melhor 5 likes de pessoas que vão realmente ver o que você posta, do que 70 likes de pessoas que não são seu público. Qualidade é diferente de quantidade: pense nisso. ;)


Mas não dá pra acelerar? Leva muito teeeeeeempo!!!!!

Sim, leva. Se quiser antecipar um pouco o processo, existem algumas maneiras de patrocinar posts no Facebook, e que dão resultado. Não vai sair torrando o salário do mês com isso, Luiza! Deixa eu te explicar como funciona: Selecione uma imagem boa! Aquela bafônica mesmo, sabe? Que te impressionaria se você visse na sua timeline. Lembre-se: o Facebook nos boicota, então cuidado. Imagens sem texto costumam circular mais pelos feeds alheios. Lembre-se de começar o texto com uma frase de impacto, ou um bom quote do seu livro. O Facebook oculta parte do texto se ele for longo, então você precisa chamar a atenção logo na primeira linha. Escolha uma verba que não te leve a falência, e prolongue o tempo de exibição. Assim a publicidade vai aparecer mais vezes para as pessoas (e as pessoas tendem a gostar de coisas que parecem familiares, e se ela ver 10 vezes seu anúncio no mês, ele vai ser super familiar pra ela). Selecione bem o seu público! Defina o seu público alvo e direcione a publicidade para esse público. Defina faixa etária, local, tome esses cuidados. E inclua interesses, por exemplo: se seu livro fala de vampiros, quem leu "Entrevista com Vampiro" ou "Crepúsculo" ou até "Drácula" pode se interessar por ele. Cite esses nomes de livros famosos nos interesses, pois é mais fácil alguém procurar por Drácula (e dar de cara com seu anúncio) do que alguém buscar pelo seu livro (que é novo e ninguém conhece). Mas cuidado: não adianta sair listando tudo que é livro famoso, só pra aparecer para todo mundo. Lembre-se que você está queimando seu anúncio com um público que pode não ser o seu.


Brindes, eis a questão.

Prepare o bolso, estude artesanato, aprenda a desenhar, pintar e bordar. Brindes são caros e nenhuma editora vai faze-los por você. Pense fora da caixinha: crie brindes diferentes e que criem um link com a história do seu livro. E de preferência: pense em brindes baratos. E quando eu digo baratos, lembre-se também do envio (afinal ele não vai teletransportar para a casa do leitor ou parceiro). Existem brindes mirabolantes, enormes, lindos e baratos... que vão custar uma fortuna pra você enviar pelo correio. Avalie esse ponto. Uma caneca é um ótimo exemplo. É um brinde bacana (é caro, mas se fizer 1 ou 2 por vez dá pra ir administrando), mas custa caro pra embalar e mandar por PAC. Sedex então, nem se fale.


E o dinheiro, ó...

Diga adeus às "brusinhas", aos sapatinhos, aos chopps com os amigos... Tudo é muito caro, o seu investimento não encerra depois da publicação do livro: pelo contrário. O investimento de tempo e dinheiro é muito maior e contínuo agora. Não é o fim do mundo, se você souber se organizar vai saber colocar sua quota à venda e recuperar parte do dinheiro. Existem algumas alternativas nesse caso, mas isso vai ficar para o próximo post! Afinal, preciso manter vocês interessados (e preciso me controlar para não estender demais esse post).


Se você é autor ou tá pensando em virar, conta pra mim se esse post te ajudou de alguma forma! =)


E se liga que em breve posto a segunda parte do texto com as dicas de como economizar e até recuperar boa parte dos seus investimentos! ;)









Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags

Encontre-nos

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle