Black Mirror


Passei as férias inteiras colocando minhas leituras e séries em dia, e percebi que uma das minhas séries favoritas não tem metade do reconhecimento que merece. Então no post de hoje trouxe para vocês uma super indicação de série, Black Mirror. Uma série britânica para quem tem estômago para aguentar algumas críticas a nossa sociedade.


Black Mirror é uma série no mínimo diferente das outras. Cada episódio é independente dos outros, a história é diferente, personagens, elenco, em Black Mirror nada se repete. Mas o que todos eles têm em comum é a forte crítica social. São normalmente ambientados no futuro, e tentam prever (de forma exagerada e até assustadora) onde a tecnologia pode nos levar e a forma que a nossa sociedade vai reagir a isso.


O nome da série foi explicado em uma entrevista pelo criador Charlie Brooker:

“Se a tecnologia é como uma droga – e ela parece com uma droga – quais são precisamente os efeitos colaterais? Essa área entre o prazer e o desconforto é onde Black Mirror, minha nova série dramática, está situada. O “espelho negro” do título é aquele que você irá encontrar em cada parede, em cada mesa, na palma de cada mão: a fria e brilhante tela de uma TV, monitor, smartphone.”


A série explora a tecnologia desde implantes cerebrais para guardar memórias até o quanto as mídias sociais e a televisão podem influenciar a nossa vida. São episódios longos, que vão de 40 min a uma hora, mas todos eles são incrivelmente bem escritos e desenvolvidos, além de um elenco sensacional. Mas a questão principal de Black Mirror é que cada episódio é um soco no estômago por dois motivos:


1. Dependência Tecnológica

Se hoje em dia nos desesperamos com o bloqueio do whatsapp, esquecer o celular em casa e ficar sem internet, não é difícil imaginar que o futuro vai nos tornar cada vez mais dependentes da tecnologia. Já pensou, um tipo de implante cerebral que grava todas as suas memórias¿ Assim você nunca esquece nada, pode reviver as memórias nas televisões ou até na sua própria cabeça. Agora, o que isso faria com a sociedade¿ Esse é o cenário de um dos episódios da série, The Entire History Of You (A Sua História Inteira) nos apresenta a esse mundo distópico e a um personagem ciumento e paranoico.



2. A Parte Obscura da Humanidade

Nós sabemos que o ser humano pode ser mal, vemos isso todos os dias nos comentários nas redes sociais.... Mas o que aconteceria se esse poder de julgar, ofender e expor os outros fosse levado para fora das redes sociais¿ Em White Bear (Urso Branco), que pessoalmente achei o episódio mais forte da série, somos apresentados a um mundo onde todos são apenas expectadores, não questionam, pensam ou agem sem que isso tenha sido instruído por alguém. Essa atmosfera também aparece em mais dois episódios da série e são igualmente chocantes.


É diferente de tudo que você já viu.


Em Black Mirror não há finais felizes, são contos sombrios e assustadores porque são extremamente possíveis. É perturbador de assistir em alguns momentos, por isso que ter estômago é necessário, mas depois que o episódio acaba é incrível o quanto se pode pensar no enredo e relacionar com a nossa realidade. Talvez não seja fácil fazer essas relações de primeira, mas cada conto é uma alegoria muito bem desenvolvida dos nossos dias atuais.


A série está no Netflix (ainda bem!) E possui apenas sete episódios, divididos em duas temporadas e um especial. Não há diferença nenhuma entre uma temporada e a outra, como já disse os episódios são independentes, mas recomendo assistir na ordem porque a forma que os episódios são organizados segue uma ordem interessante.


Espero que tenham gostado da dica! Até mês que vem!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags

Encontre-nos

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle