Leiam + Matthew Quick


Oi, oi, pessoal. Como vão? Espero que bem. Sou o Eduardo, do blog Lendo Com Weasley e do ig @weasleyzinho e, primeiramente, é uma honra ter sido convidado para este projeto maravilhoso, que é o Café de Autores.


O assunto do post foi escolhido devido a meu grande amor por esse autor. Matthew Quick é um autor bem conhecido na atualidade, abordando temas interessantes em seus livros. Talvez seu livro mais conhecido seja ‘O lado bom da vida’, já que o mesmo ganhou uma adaptação cinematográfica. Resolvi falar um pouco de seus livros, falando um pouco de cada um, como uma forma de incentivar as pessoas a lerem seus livros.



AEAAAICRAEAOw==

O lado bom da vida: “Não quero ficar em um lugar ruim, onde as pessoas não acreditam no lado bom das coisas.” Pat é um homem na casa dos 30 que estava em ‘recuperação’, após seu trágico término com o amor de sua vida, Nikki. Após sair da recuperação, Pat faz de tudo para ficar ‘perfeito’ para Nikki, já que, na cabeça dele -um tanto perturbada, podemos dizer - eles ‘deram um tempo’ e logo voltarão. Pat é a pessoa mais otimista que existe. Ele acredita que tudo tem um lado bom, e que a vida é um filme em que devemos atuar bem nele. “Dói olhar para as nuvens, mas ajuda, como a maioria das coisas que causam dor.” É um livro que, querendo ou não, te torna uma pessoa mais otimista. Te faz acreditar que tudo tem um lado bom, seja qual for a situação, independente dos motivos, há uma saída, um lado bom, em tudo. Talvez isso tenha sido o que mais me agradou no livro: ter aderido um pouco da maneira de Pat para lidar com a vida.



Perdão, Leonard Peacock: “A chave é fazer algo que marque você para sempre na vida das pessoas. Algo que importe.” Leonard Peacock é um jovem um tanto revoltado, mas uma pessoa boa. Sem o amor de sua mãe, Linda, que prefere saber qual é o preço de uma bota de couro cara ao invés a saúde mental do filho. Linda mal fica em casa, sempre em viagens, amantes e compras. Leonard praticamente se vira sozinho. Mas ele tem um plano, um objetivo: matar seu ex-melhor amigo, Asher, e em seguida, se matar. “Gostaria de acreditar que a felicidade na vida de pessoas propensas a tristeza é possível.” É um livro intenso. Você sente a necessidade de querer entrar no livro, abraçar o Leonard e dizer “Vai ficar tudo bem, fique tranquilo, vai ficar bem, você não está sozinho, fique bem.” Foi um dos melhores livros que li na vida, a maneira como foi escrita, a forma de Matthew me encantou, principalmente as cartas do futuro. Esse livro me tocou em uma parte que poucos o conseguiram.


Garoto21: “A verdade é que muitas coisas aconteceram comigo, coisas boas e ruins. Eu precisaria de muitas palavras para explicar, mais palavras do que sou capaz de dizer.” Finley é um jovem que não gosta muito de falar, prefere o silêncio. Sua paixão é o basquete e ele acha que a repetição de um movimento ajuda a clarear a mente. Seu sonho é sumir de Bellmont com Erin, sua namorada também apaixonada por basquete. Seu número no time é 21 e ele nunca, nunca desobedece uma ordem do treinador. E o treinador um dia te pede uma coisa: se aproximar de Russ Allen, um excelente ex-jogador de basquete, que perdeu os pais em um assassinato, desde então ele quer distância de basquete. E agora ele não é mais Russ, seu nome é Garoto21 e ele veio do cosmos. A ordem do treinador é clara: “Finley, traga Russ para a equipe”, mas Finley está indeciso. Se Russ entrar na equipe, ele perde seu 21, já que Russ só jogava sendo o vigésimo primeiro. E agora? Ajudar Russ e sair prejudicado? Eis a questão. “Sempre que penso que o mundo é feio… que a vida não tem sentido… sempre posso olhar para o cosmos e me maravilhar, não importa o que aconteça. E, quando olho para isso, sinto como se meus problemas fossem pequenos. Não sei por quê, mas isso sempre me faz sentir melhor.” Esse livro foi uma surpresa. Não esperava que ele fosse o que foi, ter me surpreendido como surpreendeu. Digo que foi minha melhor leitura de Junho, por ter, de uma forma intensa, ter me surpreendido.


Além desses, há um outro livro, ‘Quase uma rockstar’ que é o único que eu ainda não li, mas que pretendo ler em breve, e quando ler, terá resenha no blog e/ou no ig, então fiquem ligados. Vocês já leram algum livro do Matthew? Qual é o seu preferido? Me contem suas experiências! Até a próxima, pessoal.


Posts Em Destaque
Posts Recentes